Escolha uma Página

[fusion_builder_container background_parallax=”none” enable_mobile=”no” parallax_speed=”0.3″ background_repeat=”no-repeat” background_position=”left top” video_aspect_ratio=”16:9″ video_mute=”yes” video_loop=”yes” fade=”no” border_size=”0px” border_style=”solid” padding_top=”100″ padding_bottom=”75″ hundred_percent=”no” equal_height_columns=”no” hide_on_mobile=”no”][fusion_builder_row][fusion_builder_column type=”1_1″ layout=”2_3″ last=”no” spacing=”yes” center_content=”no” hide_on_mobile=”no” background_color=”#ffffff” background_image=”” background_repeat=”no-repeat” background_position=”left top” hover_type=”none” link=”” border_position=”all” border_size=”0px” border_color=”#dddddd” border_style=”solid” padding_top=”0″ padding_right=”40px” padding_bottom=”0″ padding_left=”40px” margin_top=”” margin_bottom=”” animation_type=”0″ animation_direction=”down” animation_speed=”0.1″ animation_offset=”” class=”” id=”” min_height=””][fusion_text]

Retração gengival –  O que é e Como tratar?

 

[/fusion_text][fusion_text]

A retração gengival ocorre com a gengiva que contorna os dentes e está em uma altura diferente das demais, expondo a superfície da raiz do dente devido ao deslocamento da gengiva.

[/fusion_text][fusion_youtube id=”https://youtu.be/x9b9z9BH_to” alignment=”center” width=”” height=”” autoplay=”false” api_params=”” hide_on_mobile=”small-visibility,medium-visibility,large-visibility” class=”” /][fusion_text]

O que causa a retração da gengiva?

 

[/fusion_text][fusion_text]

As causas podem ser por fatores próprios de cada pessoa ou por fatores causador externamente por ela, ou ainda pela combinação dos dois.

Fatores próprios da pessoa:

  • A anatomia do osso ao redor dos dentes quando há presença de falhas no osso e/ou corticais ósseas finas que sustentam os dentes, pode desencadear a gengiva retraída.
  • Malposições dentárias: os tecidos moles e os tecidos duros que circundam o dente podem ficar reduzidos em altura ou em espessura pela falta de espaço adequado entre os dentes.
  • Freios são estruturas fibrosas que limitam a tração dos lábios, bochechas e língua. Quando o freio está inserido próximo à margem da gengiva, pode exercer uma tração dos tecidos favorecendo a retração da gengiva no local.
  • Fluxo salivar baixo.

Fatores externos:

  • Escovação traumática: o efeito agressor da escova pode ser explicado por uma pressão exagerada na escovação, pela utilização de escova com cerdas média ou dura, por uma freqüência de escovação aumentada, pela uso da técnica de escovação errada ou então, pela associação desses fatores.
  • Lesões de cárie próximas as gengivas e não tratadas.
  • Inflamação: a gengivite e a doença periodontal favorecem a retração da gengiva pois os produtos da inflamação local ajudam a deteriorar a gengiva, além de dificultar na limpeza da região.
  • Prótese fixa: o ponto de junção da prótese com o dente ao nível gengival ou abaixo da gengiva pode provocar retenção de placa e gerar inflamação e conseqüente retração gengival.
  • Grampos de próteses parciais removíveis.
  • Movimentação dos dentes com aparelho.
  • Trauma causado pela mordida à forças mastigatórias mal direcionadas sobrecarregando o tecido ósseo e gengival.
  • Tabaco – fumantes têm maior perda de inserção (elementos de sustentação do dente ) e recessão gengival que os não fumantes.

[/fusion_text][fusion_text]

Conseqüências da gengiva retraída:

 

[/fusion_text][fusion_checklist icon=”fa-check” size=”17px” hide_on_mobile=”small-visibility,medium-visibility,large-visibility”][fusion_li_item]

Hipersensibilidade no dente provocada, particularmente, por estímulos térmicos, pelo contato e/ou alimentos doces;

[/fusion_li_item][fusion_li_item]

Cáries radiculares;

[/fusion_li_item][fusion_li_item]

Perda estética do sorriso;

[/fusion_li_item][fusion_li_item]

Perda progressiva de suporte para o dente

[/fusion_li_item][/fusion_checklist][fusion_separator style_type=”none” top_margin=”20″ alignment=”center” /][fusion_text]

Tratamento:

Para um tratamento eficaz é de fundamental importância identificar a causa para depois corrigir cirurgicamente o defeito gengival com a técnica indicada para cada caso.  

A escovação traumática é o primeiro fator que deve ser buscado e corrigido. Nem sempre o paciente está ciente deste comportamento e, além disso, pode ter algumas dificuldades em abandonar sua escova dura e seu movimento vigoroso de escovação por uma escova macia e uma técnica apropriada.

Em casos de perda ósseas ou perda em qualidade de gengiva, o Periodontista irá avaliar e indicar o melhor tratamento.

[/fusion_text][/fusion_builder_column][/fusion_builder_row][/fusion_builder_container][fusion_global id=”13207″][fusion_global id=”13188″]